23 de julho de 2009

Imortalizar não é para todos.


Uma gota de chuva, um olhar, uma guitarra partida. Detalhes dos quais nos podemos apoderar. A morte, a vida, uma praia, um ser. Captar a essência das coisas é algo magnífico. Tudo passa, tudo tem um fim. Fotografar algo é tornar esse algo eterno e imutável. É por isso que a fotografia me fascina. Ter o poder de imortalizar é um sentimento magnífico, profundo. Já me aconteceu muitas vezes olhar para uma paisagem, ou até mesmo um pormenor e apetecer-me fotografá-lo para lhe recordar sempre a singularidade. O facto de saber que tenho em minha posse um momento que certamente nunca mais se irá repetir na história da Terra, é priveligiante. Esta exclusividade preenche-me quando tenho a consciência de ter tirado uma boa fotografia, que retratou tal como eu queria aquele tal motivo.
Fotografar exige criatividade e por isso apenas os fotógrafos criativos marcaram posição. Há que ser vanguardista nesta matéria, ou então está-se inevitavelmente determindado à indiferença. Fotografar para mim é roubar, com a ajuda da luz, os sentimentos e os sentidos das coisas.
Fotografo há algum tempo. É um hobbie que me ajuda a relaxar e a concentrar-me em mim mesma durante algum tempo. Já pensei em concorrer a alguns concursos para jovens mas não tenho a certeza se o meu trabalho será suficientemente bom para ser vencedor. Até alcançar uma certeza, vou ganhando experiência que aos poucos me vai enriquecendo e sensibilizando. Admiro fotógrafos como Arthus Bertrand, que dedicaram a sua vida inteira à fotografia. Arthus passou a sua vida à volta do Mundo, captando imagens inéditas e lindíssimas de diferentes culturas. Parece que estiveram sempre lá, à espera para serem captadas, num ponto distante do Globo. Mas só Arthus foi capaz de as ver, destacadas de todo o resto. É aí que reside o seu sucesso, e de todos aqueles que apostam e se deixam levar por esta arte. Como disse Carl van Vechtner, fotógrafo americano:” A cat is never vulgar”.
Imortalizar, não é para todos.

8 comentários:

M. disse...

muito obrigada :$

adorei o texto mesmo *.* também gosto bastante de fotografia e divirto-me muito quando estou a fotografar, apesar de não ter grande talento para isso :')

«Já pensei em concorrer a alguns concursos para jovens mas não tenho a certeza se o meu trabalho será suficientemente bom para ser vencedor.», arrisca sem medos. Eu percebo, passa-se o mesmo comigo na escrita e há pouco tempo ganhei coragem e inscrevi-me num concurso. Não ganhei, mas ganhei experiência e saber que o nosso trabalho é analisado por outras pessoas, seja qual for o resultado, é sempre recompensador.

Beijinhos

Patrícia disse...

ora , já viste se o teu futuro não passará por aí ?
muito obrigada :$ e tens razão , não há nada melhor do que nos expressarmos ... aqui sentimo-nos livres *-*

vou seguir-te *

Di ,' disse...

És craque mesmo *-*
Vou seguir :$

Di ,' disse...

Oh , não escrevo nada de especial :x :$
Mas obrigada pelo elogio '$

Di ,' disse...

Oh , se escrevesse assim tão bem tinha ganho qualquer coisinha no concurso de poesia em que participei , o máximo que consegui foi um dos poemas conseguir ter sido o resumo do espectaculo , menos mal xD

Di ,' disse...

Ultimamente não tenho andado muito inspirada mas tenho de tentar fazer com que saia alguma coisa :)
Obrigada pelo encorajamento :$

L' disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
(M.) disse...

Amei este texto *.*

Vou seguir-te :p

Beijinho*