31 de julho de 2012

O escuro


« O problema é deixar o escuro entrar na cabeça da gente »
Mia Couto

7 comentários:

joana pinto disse...

é mesmo. a musica é tão linda aiiii.. eu também gosto imenso da minha fisheye awwww :3

Cath disse...

e o problema, tantas e tantas vezes, é não deixar entrar a luz.
és sempre um anjo que nunca se esquece de me trazer as melhores palavras embrulhadas em sorrisos.

Sofia de Sousa disse...

Muito obrigada! :)

Vera disse...

não! na verdade aquele foi o primeiro filme que vi do Truffaut, mas tenho tantos outros dele na minha watchlist, e o Les quatre cents coups é um deles :)

Pensando com Arte disse...

O viajante é aquele que vai sem ir, e que vem sem vir.
O viajante é aquele que se conhece pelo mundo fora. O viajante fascina-me e eu? eu um dia quero fazer parte dele, e tu?
Espero que diga, e ... como te posso agradecer as palavras fascinantes acerca do meu texto? *

Beijinhos,
Pensando com Arte, esperando sempre o teu comentario acerca do que escrevo e visita! <3

Gabriela disse...

Luísa, que bom estar aqui a escrever-te, e que bom saber de ti. És uma pessoa linda e essa pessoa só perdeu ao desiludir-te. Sei que só perdeu. Espero que as coisas estejam melhores e que entretanto essa pessoa se tenha arrependido do que fez.
Não sei se estou bem, quer dizer, neste exato momento acho que estou bem, mas anda tudo tão instável, sabes? Tão instável que chega a doer imenso. Acho que também preciso de me reencontrar e espero estar num bom caminho para tal. Agora criei um novo mundinho aqui na blogosfera, bem, eu não sei no que vai dar, mas sabes, sou tão assim, e não me aches tonta por isso, por sentir inúmeras vezes a necessidade de mudar de ares. Há coisas que por vezes perdem o sentido, e foi o que aconteceu com o sítio onde estava. Está cheio de histórias que se perderam, que fazem doer, e que como já disse, perderam o sentido. Enfim, espero ser feliz onde estou agora. E desculpa isto, mas queria contar-te, porque é importante para mim e és uma grande razão para não sair da blogosfera de vez. Juro.
Vem contar-me novamente de ti Luísa, já tenho saudades. Beijinho e um abraço bem forte. ♥♥

Vera disse...

É a primeira vez que dizem algo assim de um texto meu, muito, muito obrigada!