22 de outubro de 2009

Música

Leves acordes de guitarra no ar encantam-me a alma, adoçam-me o coração. Quero ouvi-los muitas e repetidas vezes, sem parar. Porque me hipnotizam (e eu quero), porque me fazem sentir bem. Porque por momentos tudo à volta se esfuma, desaparece e apenas os ouço.
Acorde,
1. União de sons que formam harmonia.
adj. 2 gén.
2. Concorde; harmónico.

De repente, passo a ouvir as distintas e discretas teclas de um piano a encherem o meu ouvido de graça e dramatismo. Adoro. Deixo-me levar por elas porque gostava de ser como elas. Poder voar por aí e entrar directamente na alma de alguém, despertando uma panóplia de sentimentos da mesma linhagem da inspiração.
Tecla,
1. Peça de marfim ou de outra substância que, com a pressão dos dedos, faz soar o piano ou outro instrumento semelhante.
2. Corda sensível.
3. Assunto debatido.

Olho em volta, está escuro. Na falta da visão, a audição torna-se mais apurada. Agora a música torna-se um vício, uma dependência porque é a única coisa que tenho, que me resta. Sigo o ritmo da voz suave, que me sustenta. Umas vezes é em forma de sussurro, terno. Outras é um grito de revolta, forte.
Ritmo,
1. Cadência; metro.
2.. Relação da intensidade entre as pulsações arteriais.

Concentro-me agora nas letras que ecoam no meu ouvido. Juntas formam palavras, frases, estrofes de um poema. Absorvo cada uma, repito-as para mim. Quero ficar com elas, pegá-las com as mãos. Desejava que fossem matéria, desejava poder agarrá-las com força contra mim.

Letra,
1. Carácter!Caráter escrito, impresso ou gravado do alfabeto.
2. Forma que se dá à letra escrita.
3. Som representativo de uma letra.
4. O que está escrito; texto; sentido.
5. Tipo (de imprensa).
6. Poesia que acompanha música.
7. Parte literária de uma ópera.
8. Emblema, divisa, mote.
9. Letreiro, inscrição.
10. Documento representativo de dinheiro.
Gradualmente, a melodia vai-se esgotando e o sono aparece. O silêncio invade tudo, ferozmente. A voz fica calada, o ritmo desaparece e as letras recolhem-se numa caixa que não consigo ver. Só o silêncio impera.

Silêncio,
1. Estado de quem se abstém de falar.
2. Cessação de ruído.
3. Interrupção de correspondência.
4. Omissão de uma explicação.
5. Sossego.
6. Toque nos quartéis e conventos, depois do recolher.

Tudo acaba, tudo tem um fim. Porquê?

8 comentários:

Rit'z. disse...

Amei este texto, amei mesmo! Está lindo, sentido, simplesmente está demais. *w*
Parabéns. :3

Michelle disse...

Eis a pergunta de que todos fazem.

Uma artista pelo que vejo. Parabéns.

Rit'z. disse...

Peço desculpa por só responder agora, estive um pouco ausente. :3
Obrigada pelo comentário, a sério. :$ É sempre bom receber opiniões, e ainda mais positivas, ahah. :D

Marilena' disse...

Somos nós que pomos um fim ás coias, e nós proprios nao nos sabemos responder.

Marilena' disse...

Obrigada (:

Rit'z. disse...

Oh. :'D

M. disse...

este texto está tão lindo *-* amei mesmo, já tinha saudades de ter tempo para poder vir aqui

- beijinhos

M. disse...

Obrigada :$
precisamos mesmo de férias, isto de não ter tempo para nada e andar sempre atolhadas de trabalhos não tem jeito (a)